Último Artigo

Para Bali, com Amor.

Há exatos dois anos, quando voltei da minha primeira viagem a Bali, sofri certa pressão externa de gente a espera de um post com dicas de viagem e sugestões do que fazer nessa trip dos sonhos. Ignorei as solicitações dos curiosos porque admito que não consegui escrever. Simplesmente não rolou. Guardei todo o meu amor por aquela ilha só pra mim.
Agora, de volta de Bali mais uma vez, passei pelo mesmo dilema. Me vi sem palavras diante de uma tela em branco, pensando sobre esse lugar encantado.
Eu, que sempre tive palavras afiadas para tudo, fico sem saber o que dizer para ou sobre Bali.
Talvez porque tudo tenha sido tão único e especial que, externar em palavras parece pouco, insuficiente. Queria engolir Bali em um único gole de Bintang. Jogar palavras ao vento me dá a impressão de tirar o que vivi de dentro de mim e que não quero perder. Cultivar esse sentimento bem quietinho para ver se ele se multiplica, é o que tenho tentado fazer.
Ao mesmo tempo, escrever sempre fez manter meus sentimentos mais vivos. E Bali, certamente merece as minhas palavras já que saí sem me despedir direito, com medo do adeus.

Bali, sua linda!
Tuas ruelas sinuosas reservam uma surpresa a cada curva, em um sobe e desce interminável de motos, pranchas, surfistas, cabelos longos esvoaçantes e embaraçados, ao som do mais alto “businês”, guiando todos em um vai e vem desorganizado pela linha do meio.
Teu cheiro de praia, parafina e protetor solar misturado com o  incenso, as flores e o arroz oferecido aos deuses três vezes ao dia, se mistura com o Gudan e a ressaca que se espalham no teu ar e se dissolvem na tua água salgada diariamente.
E falando na tua água salgada, abençoada seja ela!
Tuas praias têm um não sei que de maravilhoso, escondido e único. Teus corais e ondas perfeitas exibem o mais lindo elenco do surf que meus olhos já sonharam em ver. Tua maré coordena meus dias, juntamente com o pôr do sol, capaz de me fazer um ser pontual só para não perder teu espetáculo diário e gratuito.
Teu povo é absolutamente acolhedor, engraçado e curioso sobre tudo. Gente que faz eu me sentir em casa, que tem musiquinha para falar meu nome e que admira a maneira que a gente te adora.
Bali, sua linda, tu transborda amor! Tanto amor que me deixa atrapalhada.
Para uns, um amor a cada quebrada. Com outros, paixão fulminante, de fazer perder a razão, cancelar vôos e mudar roteiros. De viagem e de vida.
Tua magia ri na cara do medo, rasga planos e faz acontecer até o impossível.
Obrigada Bali. De verdade. Obrigada por ter me trazido de volta à mim.
Como prometido e já cumprido anteriormente, a gente se vê logo em breve.

P.S.: E as dicas do que fazer em Bali? Ops! Apenas para lembrar que esse blog dá dicas de informações NÃO turísticas. Aqui se fala de experiências. O resto, o Google ajuda.

DCIM154GOPRO

Sunset Single Fin – Uluwatu