Não queime a largada!

Pra quem gosta de relaxar tomando umas e outras na beira da praia.

Vamos ao que interessa. Beber é bom. Estar na praia também. Então por que não juntar esses dois prazeres da vida em um único dia de sol? Se você não vai pra praia para tomar banho de sol, surfar, fazer trilha, tirar fotos, correr, fazer castelinho, jogar frescobol ou altinha, ler, vender artesanato, biquíni ou sanduiche natural, é compreensivo que, em algum momento do dia, você se sinta levemente entediado.

E, claro, você não está lá a trabalho e sim para relaxar. Nenhum problema em tomar uma cervejinha, um caipira ou até mesmo um espumante superbem estruturado embaixo do seu guarda-sol, curtindo a vida e as belezas naturais à sua frente.

Mas nem sempre é isso que acontece e, o que era pra ser um simples drink, pode acabar em tragédia social, incomodando todos a volta e fazendo você pagar  o maior vale da vida.

Pra não sair julgando ninguém aqui, vamos analisar alguns pontos que podem levar a essa situação.

1. O cidadão se apresenta na praia com um cooler cheio de cerveja pronto para passar o dia. Não precisa nem ter bola de cristal pra saber que essa história não pode acabar bem. O cara se agarra naquele cooler com tanto amor que só é capaz de se afastar pra ir até o mar fazer xixi.  Fica lá, sentado admirando a paisagem, cultivando a barriga e, se alguém por perto estiver escutando qualquer tipo de música, pode ter certeza que o cidadão vai se levantar, dançar de sunga e pedir para aumentar o volume. #deprimente

2. Amor a primeira caipira: pode acontecer. A moça vai até a barraquinha comprar uma caipira e o dono é simplesmente o muso do verão! Isso acaba fidelizando as clientes que, por sua vez, passam o dia comprando caipiras tentando alguma aproximação. Como se a tendinha vendesse só caipiras. Água de coco nem pensar. Enfim, quinze caipiras depois a pessoa mal consegue caminhar de volta até o seu guarda-sol, tenta insistentemente conseguir o facebook do muso, fica amiga de todos que também estão bêbados em volta da barraca, conta histórias que só ela acha graça, esbarra em outros clientes, derruba o milho das crianças na areia e por aí vai. #vergonhaalheia

Nas duas situações o final é trágico. E o que você ganha com isso além de uma bela ressaca? A fama de turista desavisado e sem noção. Ah! Ganha muito espaço na areia também. Porque todos vão querer ficar bem longe de você.  Além, é claro, de acordar no dia seguinte com um bronzeado exótico, pois bêbados são capazes de criar verdadeiras obras de arte em seu próprio corpo ao passarem protetor solar.

Vai chegar em casa e, enquanto todos se preparam pra curtir a noite, você estará impossibilitado e desmaiado no sofá, na rede ou onde seu equilíbrio lhe permitir chegar. Pra que, né?

Então fica aqui o recado: arrume algo pra fazer na beira da praia. Assim você terá menos tempo livre pra beber, ok?! Ao contrário do que defendeu o Naldo no verão 2013, vodka e água de coco não tem o mesmo efeito. Pode acreditar.

358349_7469

Anúncios

Um pensamento sobre “Não queime a largada!

  1. hahahahah curti muito
    ” Ao contrário do que defendeu o Naldo no verão 2013, vodka e água de coco não tem o mesmo efeito.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s