Namorada de Surfista – A Réplica

Ontem postei aqui no blog um texto do jornalista Fred D’Orey com uma versão masculina sobre a vida das namoradas de surfista. Muitas coisas fazem sentido. Outras, nem tanto. Confesso que me espantei com o número gigante de acessos nesse post e com os comentários dos leitores. Nunca imaginei que o post teria uma repercussão desse tamanho. E isso é ótimo!

Mas como nós, mulheres, adoramos uma boa conversa regada a bons argumentos, resolvi escrever uma espécie de réplica para esse texto. Não quero provar quem está certo ou errado porque não acho que seja possível chegar a uma única conclusão nesse caso, já que estamos falando de homens, mulheres, relacionamento e paixões.

Mas quero sim, em nome de todas as ex, atuais e futuras namoradas/esposas de surfistas, compartilhar a minha visão da situação e deixar o espaço mais uma vez aberto para os comentários de vocês.

Queridos surfistas!

Em primeiro e único lugar, nós amamos vocês! Nós admiramos vocês! E foi justamente o surf e tudo que o envolve que chamou a nossa atenção para vocês em meio a tantas outras cabecinhas dentro do mar. Em meio a tantos outros homens não surfistas desfilando na praia ou dando mole na balada.

Temos orgulho sim de apresentar vocês para as amigas, chefes, conhecidos e família, contando a todos que vocês fazem parte das estatísticas do surf nesse país. Torcemos por vocês no mar, rezamos para que rolem altas ondas nos finais de semana com vento, tamanho e corrente apropriada. Tudo para ver os olhos de vocês brilhando ao darem de cara com o mar e voltarem do banho nos fazendo aquela pergunta clássica com um sorriso lindo no rosto: “viu aquela direita que eu peguei?”.

Ao contrário do que muitos de vocês pensam, adoramos os momentos na beira da praia enquanto esperamos vocês voltarem do mar. Mantemos o bronzeado sempre em dia, atualizamos as leituras, ouvimos música, fazemos as unhas, tomamos chimarrão sozinhas ou com as amigas, fazemos novas amizades, corremos na praia, caminhamos com o cachorro, telefonamos para pessoas com as quais quase nunca dá tempo de falar, entre outras atividades.

Namorada de Surfista - A Réplica

Mas é o seguinte: às vezes vocês passam dos limites!

Se o swell que vocês tanto esperavam não entrou na sexta-feira e deu as caras só no domingo, entendam que a culpa realmente não é nossa! Nós inclusive faríamos tudo o que fosse possível para que as ondas estivessem exatamente do gosto de vocês para não termos que conviver com um imenso mau humor durante e depois da praia.

Sabemos que as pranchas de vocês serão nossas eternas concorrentes. Mas também não é necessário jogar essa verdade nas nossas caras a todo o momento. E, de preferência, quando a viagem for longa, não nos obriguem a dividir vocês com as pranchas no espaço interno do carro. E tirar a nossa sombra do guarda-sol para deixar a prancha, também é pedir um pouco demais, não?

Entendam que temos muitas coisas para fazer enquanto vocês surfam. Muitas! E às vezes até fazer nada nos faz feliz. Afinal, surfando ou não, nós também amamos praia. Mas depois de tantas horas não há criatividade que resista. Nem criatividade, nem bexiga. E a vontade de ir ao banheiro normalmente vem quando já está frio, quase escuro e com a água do mar muito gelada. Nessa hora acumulamos a fome, o frio, o sono e a vontade de ir ao banheiro. O resultado dessa soma vocês conhecem: mau humor.

Precisamos fazer algumas perguntas para entendermos um pouco melhor o que acontece: vocês realmente precisam ficar mais de três horas sem intervalo no mar? Pegam tantas ondas assim ou não pegam nenhuma e precisam de mais tempo? Vocês não sentem fome ou sede? Dor nas pernas? Tem alguém que ameaça vocês de morte no outside caso vocês peguem uma saideira antes de três horas de banho?

Outro ponto que não concordamos totalmente é o fato de vocês alegarem que no começo do namoro somos mais tolerantes e depois ficamos sem paciência para o surf. Nós podemos mudar com o tempo sim. Mas essa mudança não ocorre só do nosso lado. Parem para analisar a situação e percebam que, no início do relacionamento, quando ambos estão muito apaixonados, vocês também querem ficar o maior tempo possível conosco. Logo, surfam menos tempo ou com mais intervalos entre um banho e outro, ficam mais conosco na beira da praia e se preocupam mais com o que estaremos fazendo na ausência de vocês. Por isso tudo funciona tão bem para os dois lados. O que acontece depois de um tempo não é falta de amor e sim excesso de rotina.

Namorada de Surfista - A Réplica

Queremos que vocês permaneçam sarados, bronzeados, cheios de energia e, principalmente, felizes! Queremos vocês sempre lindos para nós!

E, por mais que a espera seja longa, não há o que nos faça mais felizes do que ver vocês saindo realizados do mar, cheios de sal, para nos darem um beijo geladinho e salgado cheio de saudades.

Surfem! Surfem muito! Surfem sempre! E depois, voltem para nós! Caso a gente ainda esteja esperando na areia…

Namorada de Surfista - A Réplica

Anúncios

39 pensamentos sobre “Namorada de Surfista – A Réplica

    • Poxa é o meu caso!!! eu fiquei com peso na consciência de ler esse post…mas todas as perguntas pra falar a verdade não tem resposta…só quem surfa sabe…a coisa é viciante e não sabemos explicar…
      Entendo a posição dos que não surfam pq eu já fui namorada de surfista, mas depois que me tornei uma, nunca mais reclamei se ele não quer ir pra praia comigo. Pq é dificil mesmo ficar em dias de chuva…vento…ou qdo estão sozinhos…
      Ainda tenho sorte de que meu noivo é fotógrafo, e ele se amarra em ficar fotografando na praia, mas tb entendo que tem uma hora q chega né?!
      É tentarei ser mais boazinha…mas confesso que será muito muito dificil.

      • opa!!! To pra ver mulher surfista que não namore um surfista!!! HOMEM QUE NÃO PEGA ONDA NÃO AGUENTA UMA SURFISTA! kkkk

  1. Eu sempre compreendi o amor pelo Surf, curtia passar 4, 5 horas na areia sozinha enquanto meu ex namorado queimava a retina no reflexo do mar (não foi zica minha!). Nessas horas eu curtia a praia, lia livro, pegava bronze, era azarada por outros surfistas na areia, descansava e até dormia. Mas chega uma hora em que, como tudo na vida, precisa ser equilibrado.

    A mesma reclamação de homens que não querem ir a shopping com mulheres e ficar 3, 4, 5 horas(!) trancado num ambiente cheio de tentações, consumismo, gente, gente… vai entender, muitas de nós gostamos. Ficar um dia todo de conchinha na Serra também é uma boa… A questão é que a gente consegue programar um shopping, sunset com as amigas, almoço com família e mas tb conseguimos reagendar se for preciso. O velho e bom jeitinho de ceder da namorada.

    O surfista é uma incógnita… o fim de semana será decidido em 3 acessos ao Rico Surf, câmeras das praias (de todo o Brasil) e telefonemas ás 7 da manhã… daí sabe-se o que será do dia. Inevitavelmente o conceito de mar clássico, marolinha, flat ainda tem peso 2 e mesmo que o mar não esteja pra surf, a praia ainda está alí no topo de prioridades.

    Surf Trip é o melhor invento dos surfistas desde que haja o mesmo engajamento para “Serra Trip” com as amigas, “Alto inverno em Campos” com as amigas… whatever , mas até nisso a surf trip ganha no argumento baseado-se no sustentável, no saudável, colocando a responsa na conta da mãe natureza. Em geral Surf pode, vinho na Serra não. O surf tem peso 2 sempre.

    O esporte é lindo, mágico, encantador, mas é preciso saber ceder dos dois lados. O erro está em quem se anula ao invés de pensar na saúde do relacionamento. Usar isso com inteligência é colher os frutos das coisas que fazem bem a cada um. Pessoas iguais são enfadonhas. No fim, ganha quem tem o maior grau de resiliência.

    Mandar escolher é a deixa para entender que esse relacionamento não existe. Surf é religião e eu não quis me catequizar. Preferi ser eu e ele ser ele. Não faltou apenas resiliência, faltou mesmo é amor e cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é… dizia Caetano que não surfa. (ou surfa, quem sabe?)

    • Lucia, achei bacana a idéia de SURF E SERRA TRIP, ou 50/50, melhor se a dupla e/ou duplas, toparem subir a serra no frio e descer nos dias quentes e com onda. Telefone às 7 da manhã é tarde, por aqui combinamos as 17h do

      dia anterior, se acorda às 5 e 6 da matina estamos na estrada, homens tomam chimarrão e mulheres dormem no banco do lado, e vice-versa desde que alguém fique acordado dirigindo.

      BOns surfistas sabem das condições diferenciadas das ondas logo cedo, maré em geral seca, vento fraco, e sem 200 mil pessoas querendo surfar, por vezes num único pico. Acredito na convivência pacífica e feliz entre surfistas

      e namoradas, surfistas ou não.
      Unidos venceremos no amor, na alegria e no surfe, seja de madrugada ou às 10 da manhã com ventania e praia cheia.

      ALOHAAAA!
      ABRAÇO!
      ROLF SABIÁ.

  2. Excelente texto, principalmente pela forma bem humorada de tratar a questão. Na minha modesta opinião, não é uma resposta ao escrito pelo Fred (embora denominado ” a réplica). Sem a acidez peculiar do jornalista-surfista, oferece outra ótica às abordagens, sem o rancor inexplicável de muitas críticas que li. Como dizem por aí, toda a história tem três versões: a da mulher, a do homem e a VERDADE ! A solução passa pela reciprocidade. Se o homem tem a capacidade de entender porque uma mulher precisa de 50 bolsas, a mulher deverá compreender porque ele tem um quiver com 20 pranchas. Como surfista há anos, aprendi a não buscar o confronto, mas cansei de carregar prancha, barraca, garrafa térmica, cadeira, canga e afins para a areia e, ao sair da água não ter a mínima sombra para mim, quiçá para meu equipamento (porque a amiga da namorada tava chapada no que restava da sombra, cheia de bolsas e etc…). Agora, levo duas barracas e ai de quem pensar em se apoderar da minha sombra. Ao invés de ficar 3 horas dentro d’água, faço algumas baterias de 45/50 minutos, com intervalos idênticos. Reponho minhas energias, mantenho a motivação e alegro a “patroa”. Espero que ela tenha o mesmo bom senso, na hora “passear” no shopping ou entrar no “coiffeur ! Reciprocidade e desapego ! Paz, amor e boas ondas !

    • De longe, para mim, a melhor resposta ao texto!! Reciprocidade, troca mútua de gentilezas, amor e considerações, sem sobrecarregar nenhum dos dois ou atrair mau humores!! Não interessa se o Surf é isso ou aquilo e a mulher agora tem que virar surfista para não reclamar mais. Interessa sim, que tem dois seres humanos com sentimentos em jogo e que, os mesmos, tem necessidades diferentes. No momento que toparam unir laços de um relacionamento legal, importa a via de mão dupla! =)

  3. Meninas, (Namoradas, esposas) de surfistas.. Somos meninas que tb passaram por isso, já ficamos horas a espera na areia, e nessa questão tb vemos que tem os dois lados..

    Então a solução encontrada foi: Junte-se a eles! =D . Criamos o Longarina, pra incentivar a mulherada que queira se iniciar no esporte! Não é “merchan” não!!! Mas para as que quiserem mudar o status de “Esperando na areia” para “Aprendendo a surfar”, são bem vindas! é só curtir nossas dicas no https://www.facebook.com/pages/Longarina/439881219444414

    Boa praia e bom começo de surf a todas!

  4. Opa, adorei a réplica!
    Acrescento a isso, o ponto importante que é a QUALIDADE DO TEMPO fora do mar!
    Uma namorada dedicada que fica todas essas horas e adapta toda sua rotina para curtir com ele os dias de sol ou de chuva na praia, merece um namorado gente boa, carinhoso, SOCIAL, que aceite SIM os convites para os eventos, churrascos, aniversários e reuniões com os amigos dela e dele. Ou seja, TEM QUE RETRIBUIR. E nem o surf nem nada em excesso, ao extremo é bom pra ninguém!!!

  5. A VERDADEIRA NAMORADA DE SURFISTA

    Isa Monteiro

    Confesso que quando comecei a ler o texto “Namorada de Surfista”, pensei que nele fossem ser ditas coisas positivas sobre o namoro com um cara surfista. No entanto, encontrei queixas em relação a mudança de comportamento das namoradas no decorrer no namoro. Mas aí é que se encontra um grande ponto de interrogação. Normalmente as pessoas começam a namorar pelas afinidades, por gostarem das mesmas coisas, já que um namoro é uma experiência vivida a dois, onde o casal partilha de sentimentos, emoções e experiências. Se isso não acontece, não adianta insistir que não vai pra frente. Surfistas, como uma namorada de surfista, digo para vocês, se sua namorada depois de um tempo passa a criticar e a não te apoiar mais, pode ter certeza que ela nunca gostou, apenas tolerava ou te acompanhava, já que vocês tem/tinham uma relação. Namorada/ mulher de surfista acompanha porque gosta, fotografa porque tem prazer de registrar os momentos do amado, acorda cedo porque é parceira e quer estar junto, seja em um dia nublado ou em um dia com céu azul e muito sol. Temos prazer ficar na areia tomando sol, lendo revista, ouvindo música, muitas vezes com os ombros ardendo, mas com o sorriso no rosto a espera do momento em que o gato saia da água e lhe de um beijo com a boca salgada contando sobre a melhor série. E então, o gato volta pra água e nós continuamos lá, muitas vezes sozinhas, comendo o lanchinho que levamos e esperando ansiosamente pela próxima saída da água e por aquele abraço molhado.
    Prefiro dizer que o surf e a namorada são amores diferentes, mas ambos trazem satisfação, alegria. Tanto a mulher quanto o surf completam a vida do surfista de algum jeito. Não adianta tentar apagar a alegria de quem a gente gosta. Se você conheceu o cara surfando, tem que aceitar isso, porque é a mesma coisa que proibir um passarinho de voar, uma criança de brincar. É tirar a alegria de alguém por puro egoísmo. Me sinto tão feliz, de ver meu namorado me chamando para fotografá-lo, me contando sobre as ondas, ou reclamando do mar crowdeado, chegando do bate volta com os amigos e me ligando super empolgado para contar sobre sua melhor onda, cuidando da prancha nas viagens como se fosse uma filha. E quantas vezes ela já não foi no nosso meio?
    Meninas, vamos saber dividir o amor com uma prancha, também gostamos de coisas que eles não gostam e mesmo assim eles aceitam. É tão bom ver quem a gente ama feliz. Namorar com eles é entender todos os tipos de manobras, saber o nome de todos os surfistas, conhecer as praias que são favoráveis para o surf, fazer bate volta, passar final de semana fora, ou seja ter uma vida movimentada e em contato com a natureza. Tem coisa melhor? Viver longe de toda a “modinha”, padrões, ter uma vida tranquila, curtindo o dia, porque não temos o hábito de badalar durante as madrugadas, para não perder o dia seguinte de praia…E isso é tão bom!
    Eu particularmente, não gostaria que nada fosse diferente e jamais gostaria que ele deixasse de fazer o que gosta. Relacionamento é assim, baseado em companheirismo. Se você reclama tanto do seu namorado, das barcas que ele faz com os amigos, da falta de tempo pra você, da paixão dele pelo surf, minha amiga, eu te digo: VOCÊ NÃO SERVE PARA NAMORAR UM SURFISTA!

    Porque no meu caso, eu ele e o surf viramos um só.
    Good vibes!!!

  6. Esse é o espirito!!!! Achei sensacional o texto do Fred D’Orey, tanto que enviei para para minha namorada e marquei as amigas que são as namoradas dos meus brothers.

    Tanto é que soube por uma amiga de um deles, marcando nós e as namoradas. Achei sensacional os dois textos, principalmente sua réplica. Entende o nosso lado, e expõe o lado de vocês.

    Assim quando mandei o do Fred D’Orey e me identifiquei 100% com o texto, espero que as meninas tenham se identificado com o seu texto e fiquem SEMPRE esperando felizes na areia. Porque assim como você disse, ao nos ver saindo sorrindo do mar e perguntado da direita (rs), nós fazemos questão de sair de lá, pergunta da direita e dar aquele beijo salgado que vocês gostam!

    Parabens pelo texto e VIVA O SURF!

  7. Perfeito! principalmente a parte: “Entendam que temos muitas coisas para fazer enquanto vocês surfam. Muitas! E às vezes até fazer nada nos faz feliz. Afinal, surfando ou não, nós também amamos praia. Mas depois de tantas horas não há criatividade que resista. Nem criatividade, nem bexiga. E a vontade de ir ao banheiro normalmente vem quando já está frio, quase escuro e com a água do mar muito gelada. Nessa hora acumulamos a fome, o frio, o sono e a vontade de ir ao banheiro. O resultado dessa soma vocês conhecem: mau humor.” me enxerguei nessa… Precisando d um banheiro e já estava noite e frio =(

  8. Esperei tanto na areia que cansei e resolvi aprender a surfar!
    foi a melhoooor coisa, o surf é muuuito bom, faz muuuito beem e eu o entendi realmente!
    dai por diante, momentos inesqueciveis com os dois dentro da agua, pegando a mesma onda, incentivo e tal… bom mesmo!
    dai o relacionamento fluiu bem lindo, nos casamos e agora temos uma nenem de 9 meses!
    eu surfei até os 5 meses de gestação e agora a gente se revesa pra surfar e aposto que ele entendeu o que eu passava na areia o esperando, mas com juros, pq alem de ter que esperar e me ver na fissura pegando altas (pq a prioridade é sempre minha, haha!) tem que cuidar da nenem, que não para! :D
    mas posso esperar pela hora em que estaremos nós três surfando juntos! *-*

  9. há vcs esqueceram de dizer, que quando rola onda boa, aquela que no dia inteiro tentando
    vcs consegue um tubão” vcs entendi é”, aí sim simos com aquele sorrizão, uma energia totalmente recarregada, neste momento em que saímos da agua, e procurando nos meios daqueles rabos todos, vc avista sua amada, bronzeada, pensando mesmo surfista pra que ficar exposta todo esse tempo , pra ficar com a marquinha só pra ‘mim” digo que pra ela tb, eleva o ego, sem falar que a concorencia tá grande, eu digo isso, pois tem varios surfista que se dizem surfista pra pegar mulher, na agua mesmo é um tansão, atolado na prancha, ah mas eu tva me referindo aquele moneto que fc saiu da aguá à encontra , masnda aquele beijo de agua saudade, escuta que já estava com saudade, mas ve que vcs está mas feliz que nos outros dias, então pergunta se o mar tava bom” tava perfeito”, vc diz” amor tirei um tubão”, ela fica toda feli, pois sabe que vai chegar em casa ela vai laá a louça, fazer a janta, amor a noite toda, e vai te acordar com aquela beijo, dizendo, acorda amor já tá na hora, nesse momento ela sorri , acorda e pensa, meus deus, manda cada vez mas tubos pro meu amoe”

  10. Vixii, é exatamente assim, não sou surfista, mas fiquei muitos anos jogando tênis de praia e praticamente nunca peguei uma balada, balada pra quê ? Pra conhecer uma senhorita maneira? Mulheres educadas,finas e sinceras são aquelas que não olham para homens enquanto o namorado passa 8 horas surfando de pinto mole na água, mas a ocasião faz o momento, seja um olhar, depois um novo olhar, um muito obrigado por pegar a bolinha de tênis, as vezes a bolinha é jogada propositalmente sabendo que atrás está passando uma linda garota, talvez essa seja a chance de fazer ela pegar a bolinha entregar em minhas mãos e eu lhe poder dizer; Muito obrigado e dar um belo sorriso, talvez uma piscada de leve ou até mesmo uma leve conversa sobre a vida e qual o sentido da vida .

  11. Me identifiquei muito com os textos! Meu marido surfa e faz kite surf e é totalmente viciado. O surfe é melhor de manhã cedo e o kite a tarde, ou seja, é o dia todo na praia! Vou com ele quando as condições são boas para mim, mas acho meio demais as mulheres que vão para a praia de casaco, ou na chuva, não consigo entender. Nesses dias aproveito para visitar minha mãe, minha irmã, comprar alguma coisa, trabalhar, ir numa exposição. Temos também uma combinação que se ele quer surfar, ele que carregue suas tralhas! É mochila, prancha, trapezio, vishhh, to fora. Assim acaba dando certo, vou a praia quando é um programa legal pra mim, mas quando vira obrigação, ou se percebo que vai ser furada, pulo fora rapidinho. Ele adora surfar, mas isso não significa que eu preciso ir todas as vezes com ele. Ele me entende e também não insiste para que eu vá. Assim percebo que ele acaba escolhendo as praias que também são legais para mim, as viagens que dá para eu ir, e assim as coisas foram se ajustando com o tempo. Mas tenho que admitir que o whatsapp vibrando de 5 em 5 segundos, me irrita bastante. Às 6h da manhã então, tenho vontade de jogar uma bomba!! Hehe. Os textos são legais, mas não pode haver submissão de nenhum dos lados, nem da namorada que nao surfa nem do cara que, afinal de contas, não está sozinho. Se a namorada perceber que o surfe é mesmo um vício deve dar o braço a torcer e arranjar programas legais enquanto ele se diverte. O que não é legal é pressionar o cara para ele parar de fazer o que ama. É tão legal uma pessoa ter um hobby, mas claro que tem que rolar um bom senso dos dois para que o esporte não destrua o relacionamento. Se solteiro você ficava 4hs surfando será que namorando não dá pra surfar 2h e nas outras 2 almoçar com sua namorada, bater um papo, caminhar na orla? Acho que é por aí…

  12. Pingback: O amor está no mar! | Vai pra Praia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s