Um Sonho Chamado Austrália

Era uma vez uma guria de vinte e bem poucos anos, que viveu há oito anos.

Amava praia, teatro, patinação e academia. Estudava Relações Públicas e trabalhava desde cedo. Sonhava em, um dia quem sabe, fazer carreira em uma empresa na área de comunicação e colocar todos os seus conhecimentos teóricos em prática.

Ela era insegura. Tinha medo. Medo de agulha, medo de gatos, medo de dirigir, de falar em público, de ficar sozinha, de namorar e se decepcionar. Medo de decepcionar alguém. Qualquer alguém que fosse: a família, os amigos, o chefe, os colegas, os homens ou algum desconhecido que passasse por ela na rua. Mas, apesar de todos esses medos que habitavam a sua mente, sempre se considerou uma guria feliz. De verdade.

O tempo passou. A vida andou.

Aquela guria cresceu. Nesse meio tempo, ela namorou, amou e quebrou a cara. Não necessariamente nessa mesma ordem e nem tão pouco uma única vez. Aprendeu muito com os relacionamentos e carrega de todos eles, até hoje, muitas lembranças boas e algumas cicatrizes que ainda se refletem na personalidade dela.

Terminou a faculdade e trabalhou muito, muito mesmo até lá. Dias, noites e finais de semana. Aquele sonho de fazer carreira de relações públicas em uma empresa bacana aconteceu. Graças ao esforço e paciência dela e graças a todas as pessoas especiais que ela encontrou nesse caminho.

O teatro ela escolheu deixar de lado, pois o tempo era curto na vida dela e, nos finais de semana, ela preferia ir para a praia. Da patinação, foi obrigada a “se aposentar”, pois as lesões dos tombos já a impediam de andar de salto alto e roupa social dentro da empresa.

Enfrentou alguns medos na marra. Aprendeu a dirigir e a falar no microfone em cima de palcos para mais de mil pessoas. Aprendeu a se portar e se posicionar em situações importantes, sem perder a sua personalidade. Aprendeu a ficar sozinha, sozinha mesmo, e gostou muito. Tanto que ela preza muito por esses momentos até hoje. Decepcionou algumas pessoas. Sem querer, mas decepcionou, ela sabe. E se cobrou tanto por isso que teve que aprender a se perdoar para poder seguir a vida.

Um dia, quando a vida já estava bem boa e tranquila, a guria surtou!

E, de repente, quando a ficha da vida caiu, nada daquilo parecia mais ser certo. Aquelas roupas não combinavam mais, aquela rotina e nem aquela maquiagem. Nada do que as pessoas diziam de importante fazia sentido e tudo parecia simplesmente um saco e insignificante. Foi como se uma sirene de emergência tivesse sido acionada e ela precisasse sair correndo de onde estava. Da vida que levava.

Mas correr pra onde? Correr de quem? Se ela levava a vida que sempre buscou e era cercada pela família, amigos e muito amor?

Acontece que essa guria, desde a infância, sempre teve um sonho que ela considerava bem impossível e que, por isso, ficava guardado no que ela chama de caixinha da felicidade.

Ela queria morar na praia.

“Mas pra quê? Vai fazer o que morando na praia?”, perguntavam todos para a guria. E ela não sabia as respostas. Não as tinha. Mas ela queria! E foi então busca-las. Porque se tem uma coisa que essa guria sempre buscou na vida foram as respostas para todas as perguntas que ela mesma formula. E olha que não são poucas!

Fez uma espécie de estágio e morou por três meses na Praia do Rosa, o lugar favorito dela no mundo. E ela nunca mais foi a mesma pessoa depois daquela experiência. Ganhou coragem, autoconfiança, saúde e paz na mente para receber um turbilhão de novas ideias e ver a vida de outro ângulo.

Foi então, em mais um desses momentos de ócio criativo no paraíso (no inverno da Praia do Rosa) que, junto com mais duas amigas, a guria resolveu se mandar! Cair no mundo e ver qual é. Ver o que de tão legal e assustador ele tem para oferecer.

O destino escolhido foi a Austrália. Porque tem praia, claro. Porque é linda, claro. Porque as referências são ótimas, claro. E também porque todo mundo sempre disse que o lugar tem tudo a ver com ela. Será? Ela não sabe ainda. Mas vai pagar para ver.

Manly Beach Austrália no blog Vai pra PraiaEntão, desafiando todas as mentiras do mundo, no dia 1º de abril essa guria vai pegar o tal avião com o destino à felicidade. E ai de quem duvide!

Ela sente medo? Sente. Medo da saudade do colo do pai, dos conselhos da mãe, do irmão, das lambidas da cadela e das visitas ao avô que já não é mais tão novo assim. Ela tem medo que qualquer coisa dessas fique diferente quando ela não estiver aqui. Na verdade, ela tem pavor. E é por isso também que ela resolveu ir. Porque ela não quer mais se sentir apavorada e insegura em relação à situações que acontecem independente da vontade dela.

Ela fica insegura, com medo de deixar um possível amor da vida para trás? Fica. Muito. O tempo todo. Até porque, essa guria, apesar de se meter em muita confusão sentimental, tem a sorte danada de conhecer pessoas muito especiais. Pessoas que foram capazes de mostrar para ela que, mesmo com os sofrimentos que ela já passou por amor, sempre é possível amar de novo. O que quase ninguém sabe, é que essa guria que sempre se faz de prática e forte, é na verdade uma romântica incurável. E ela acredita tanto na força de um amor sincero, que sabe que pode cruzar o mundo na cara e na coragem que esse verdadeiro amor vai encontrar ela onde quer que ela esteja.

Ela sente um aperto dolorido no coração por se afastar do convívio diário com as amigas do peito, que são os bens mais preciosos que ela conquistou na vida. Por perder as festas, o casamento da prima, o batizado da afilhada, aniversários, as praias no inverno, as praias no verão, as conversas com chimarrão, os jogos do Grêmio e as jantas com novela. O que dá força para essa guria enfrentar esse obstáculo difícil são as fieis escudeiras e irmãs que ela escolheu para dividir esse sonho com ela. Amigas que não tem explicação de como se juntaram nesse mundo, a não ser pela vontade de Deus que elas passassem por isso juntas. Uma segurando a mão da outra, dando força e coragem.

Australian Girls no blog Vai pra Praia!Agora você já sabe muito da vida dessa guria.  Já pode se considerar um amigo ou mesmo da família, de tanto que sabe sobre ela. Porque você deve ter percebido que todo o talento que ela não tem para falar sobre ela mesma, tem para escrever.

O que falta você saber é o detalhe que ficou para o final.

O que falta você saber, é que esta guria SOU EU.

Austrália abre teus braços, acende teu sol e liga as ondas desse mar porque eu tô chegando!

Convido a todos para seguirem acompanhando as histórias do blog Vai pra Praia que, em poucos dias, será internacional e escrito com o mesmo amor de sempre!

Bárbara Viero no blog Vai pra Praia!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Um Sonho Chamado Austrália

  1. Parabens pelo blog e pela coragem! É super inspirador ler esse texto, fiquei até com lágrimas nos olhos, porque tenho o mesmo sonho, e tenho certeza que vou ter a mesma coragem que você em breve!
    Estarei acompanhando sua tragetoria, e se possivel poste sempre sobre dicas de moradia, trabalho e etc.
    Tudo de bom pra voce!

    • Oi Tyci!
      Obrigada pelo teu recado! Fico muito feliz mesmo quando leio comentários como estes. É a minha maior recompensa!
      A vida aqui na Austrália não é nada fácil, pois é totalmente um novo recomeço. Mas cada minuto e conquista valem muito a pena!
      Pode deixar que seguirei postando e compartilhando tudo sobre a vida na praia. Sempre que der tempo. Heheheheh…
      Um grande abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s