Praia: Uma Justificativa e Não Uma Desculpa

Sobre relacionamentos amorosos e praias

Para quem acompanha o Vai pra Praia há certo tempo, não é novidade falarmos sobre relacionamentos e praias por aqui. Essa é uma pauta que particularmente me agrada, me inquieta e me faz pensar.

Novidade é perceber que, quando se trata de homens, mulheres e paixões por praia e surf, podemos atravessar o mundo, mudar de língua e de cultura, que quase nada muda.

Em qualquer parte do mundo que tenha mar envolvido, é sabido que quem se relaciona com surfistas precisa aprender a se adequar aos horários do esporte e, principalmente, saber respeitar e entender que o surf estará sempre em primeiro lugar. Concordâncias ou discordâncias à parte, é assim que funciona na prática. I’m sorry.

Mas e quando o que está em jogo é o amor pela praia sem envolver o surf? O simples amor por um dia de sol, com os pés na areia, de frente para o mar, com boa companhia, música, um chimarrão, talvez o livro do momento e fotos para o Intagram? Quem garante o respeito por esse amor?

Qual a dificuldade de alguém entender quando queremos ir embora de uma festa, por exemplo, porque, no dia seguinte, logo cedo, o sol vai bater na janela e a praia nos espera?

Porque, quando alguém nos diz que vai ficar em casa e dormir cedo para surfar no dia seguinte, temos que acreditar e, quando dizemos que queremos dormir cedo para pegar praia , soa como desculpa? Tem alguma coisa errada aí!

Em primeiro lugar, a praia nunca será uma desculpa, e sim, uma justificativa. Muito plausível, por sinal. Segundo, ninguém me convence de que quem segura uma prancha embaixo do braço pode ser mais feliz na praia do quem curte o sol na areia.

blog Vai pra Praia

Já escrevi aqui antes e repito: o surf é meu esporte favorito mesmo sem praticar. Tá para nascer algo que eu admire tanto quanto. Concordo com todas as prioridades dadas a ele e adoro participar desse universo.

Agora, não venham diminuir a importância do meu dia de praia só porque não vou passar três horas dentro d’água! Aí não, né? Se o sol prometeu vir, eu prometi pra ele que estaria lá logo cedo, aproveitando cada minuto e admirando cada onda dropada pelos surfistas. E não admito que chamem isso de desculpa. Nem na Austrália, nem no Brasil, nem em lugar algum do mundo.

O dia de praia pode ser aproveitado de ângulos diferentes. É tudo uma questão de gosto e perspectiva. Não caberíamos todos no mar e nem todos na areia.  Tem espaço para todos quando nos dividimos. E assim, o encontro de quem sai salgado do mar com que está quentinho na areia fica ainda mais delicioso e cheio de saudades.

amor na praia no blog Vai pra Praia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s