Desculpa, foi engano

Uma vez fui envolvida pela empolgação do meu grupo de amigas e acabei comprando férias para Porto Seguro. Tudo parecia lindo e atrativo: viagem, amigas, praias novas e tudo mais. Mas, desde o começo do planejamento, aquela trip me deixou com uma maldita pulga atrás da orelha. Quais seriam as programações mesmo? Café da manhã de hotel, passeio de chalana, mangue de caranguejos, complexos gigantes com bastante cerveja e aulas de dança na beira da praia e festas. Muitas festas!
“E o mar lá como é?”, perguntava eu, influenciada pela tal pulga. “Uma delícia! Super quente e sem ondas. Parece uma piscina”. Poff! Sinal de alerta!
Chegando no tão esperado paraíso, como já era um pouco previsto, vi que minha trip tinha sido um engano. Sabe aquela clássica? “Não era amor, era cilada”? Pois é. Essa mesma.
Praias muito bonitas sim. Mas com a água do mar mais quente que a do chuveiro e sem ondas. Nadinha. Nem pra pegar jacaré. Zero chances de ver uma prancha desfilando por lá. Na areia, mesas e bares por toda a extensão. Gente vendendo até a mãe através de versos rimados, dançando axé até o chão e tomando cerveja ao mesmo tempo.
Ainda bem que quem tem amigos tem realmente tudo nessa vida e, graças às companhias perfeitas a trip se salvou e rendeu boas histórias.
Mas parece que, no fundo, a gente sempre sabe quando algo vai ser engano. E, mesmo assim, seguimos ignorando o sinal de alerta.
Sabemos de antemão quando um lugar não vai agradar, quando achamos que vimos uma pessoa conhecida na rua e, no fundo, não era quem a gente pensava.
Achamos que super vamos nos dar bem com alguém que tem todo o potencial para amor da vida e, quando vê, somos de novo surpreendidos por atitudes nada surpreendedoras que fazem a gente se dar conta que, de novo, foi engano.
Toda vez que passo por uma situação dessas, a decepção comigo mesma é tanta que prometo à mim mesma nunca mais me deixar enganar. Lembrar detalhe por detalhe da cilada passada para usar de aprendizado para uma próxima.
A verdade é que, avaliar enganos para aprender com eles é positivo, mas viver para remoê-los é muito pesado. Mesmo com medo de cair em um próximo engano, a gente sempre quer se apaixonar por uma praia nova, por uma paisagem nova, por uma sensação ou por uma pessoa nova. Mesmo mantendo as favoritas no espaço mais VIP da nossa vida. E pra isso é preciso tentar.
E é aí que a vida vai acontecendo. Nesse meio tempo em que tentamos aumentar a nossa lista de praias favoritas, diminuir o número de enganos com as pessoas das quais gostamos e aprender com cada um deles enquanto as marés sobem e descem, as luas mudam de fases e enquanto ganhamos, a cada amanhecer, uma nova chance de fazermos tudo melhor para nós e para os outros, mais uma vez.

telefone na praia

P.S.: Um beijo especial com muito carinho para as minhas amigas invencíveis que aguentaram todo o meu mau humor nessa trip, reclamando de tudo e que não só nessa, como em todas as nossas férias, fizeram e fazem a minha vida mais feliz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s